Lucas Prim
Lucas Prim Editor do Biz4Devs. Desenvolvedor de software de coração, gestor de profissão.

Você tem uma Estratégia de Produto?

Você tem uma Estratégia de Produto?
Photo by Randy Fath on Unsplash

O Roadmap de produto top-down - aquele em que o CEO define o que vai ser feito - é um refúgio para as loucuras que emergem das meias-ideias meio-implementadas. Foi dando uma mentoria que conheci mais uma vítima dessas loucuras. A empreendedora era CEO de uma startup e estava desesperada porque as funcionalidades e melhorias no produto que ela “sabia que deveriam ser feitas” não iam para frente. Ela me perguntou, como quem quisesse ouvir a resposta mais fácil: “Quem deve definir o roadmap? Eu? Os clientes? O CTO? Eu né?”. Respondi que ela estava fazendo a pergunta errada.

Quem deve definir o Roadmap - de verdade - é a estratégia de produto. A pergunta certa a essa altura do campeonato é: “Qual é a minha estratégia de produto?”. E já que estratégia é uma palavra sobrecarregada com dezenas de significados diferentes, é melhor reescrever a pergunta: “Dado o problema que quero resolver (Visão), como vou construir meu produto para que ele seja superior ao dos meus competidores para o meu mercado-alvo?”.

Antes do Roadmap é preciso uma Estratégia. Antes da Estratégia é preciso uma Visão. A confusão entre Visão e Estratégia é uma constante. Eu particularmente sou veterano em fazer uma bagunça com os conceitos. Foi quando ouvi o Dave Kellog falando que “Visão é um estado final. Estratégia é um caminho sistemático para chegar nesse estado final” que tudo fez sentido.

Não é incomum encontrar uma Visão genérica como “Ser o software de gestão de times mais fácil de usar do mundo”. Não há nada de errado com ela, mas por não ser específica é impossível de se avaliar o progresso em sua direção. Para resolver esse problema, o BHAG - big hairy audacious goal - do Jim Collins é uma bênção. Para tornar a Visão concreta, é preciso ter um BHAG específico com uma janela de tempo definida. “Ajudar mais de 100.000 times a se organizarem de forma fácil até 2029” é melhor do que algo genérico, e se a forma como você vai chegar a 100.000 times é sendo “o software mais fácil de usar do mundo”, parabéns, você já tem sua Estratégia.

Qual a melhor Estratégia para chegar a 100.000 times? Segundo Michael Porter, autor do artigo seminal “What is Strategy”, ela não existe. Se existisse, não haveria mais competição depois que uma empresa a descobrisse. É o seu papel como empreendedor buscar insights em diferentes fontes para definir onde focar todos os esforços da empresa para alcançar sua visão. Se você está em dúvida sobre as fontes de insights, o Marty Cagan tem um artigo espetacular para ajudar.

Estratégia também significa escolher principalmente o que não fazer. É aí que a porca torce o rabo. Nós empreendedores temos instintos de sobrevivência que costumam entrar no caminho dos nossos melhores planos. Quando surge uma oportunidade, não sabemos dizer “não”. É aí que a Estratégia vai para o ralo. O Roadmap vai junto. Meu pai já dizia que não dá pra “focar em duas coisas”. Ele tinha razão, e escolher uma Estratégia é dizer não para todas as outras, por mais apetitosas que possam parecer.

Respondendo a pergunta da empreendedora do início do artigo, quem define o que vai no Roadmap e como as coisas devem ser priorizadas nele é a Estratégia. Quem define a Estratégia é você, a CEO. Se as coisas que você sabe que precisam ser feitas não estão chegando no Roadmap é porque você, como eu e tantos outros, não definiu (ou não disseminou) sua Estratégia de Produto. Se você decidir continuar assim, novos dias de dor-de-cabeça e discussões sem fim estarão garantidos. Melhor investir essa energia para definir uma boa Estratégia, não?