Lucas Prim
Lucas Prim Editor do Biz4Devs. Desenvolvedor de software de coração, gestor de profissão.

A agenda de um gestor

A agenda de um gestor
Photo by Veri Ivanova on Unsplash

Decidi que vou voltar a ser exigente. Fiquei displicente depois de tantas planilhas e relatórios que não dizem nada além de quão bom o autor é em maquiar o porquinho. Cometi o pecado da gula por informação e acabei com uma bela indigestão.

Conversei hoje com meu sócio e ele falou que eu deveria cobrar que as questões de planejamento fossem resolvidas com mais assertividade pelo meu time. Eu concordei. Mas se é para levantar a barra eu preciso saber: o que eu quero dos meus gerentes? Lembrei do artigo do Paul Graham sobre a “Maker’s schedule vs Manager’s schedule”. Qual é a minha schedule?

Minha vida profissional inclui atividades que podem ser classificados em um ou mais entre três grandes grupos: inspiração, planejamento e execução. Manter o balanço entre eles é minha chave para entregar resultados.

As atividades que classifico como inspiração são aquelas necessárias para fazer um bom planejamento. Como “você não tira nada da sua cabeça sem antes colocar lá”, é fazendo essas atividades que você ganha contexto para planejar seus próximos movimentos. São atividades de inspiração: ler, analisar relatórios, conversar com clientes, frequentar eventos, conversar com outros empreendedores, usar produtos dos concorrentes, observar a empresa, observar os clientes, parar para pensar, conversar com o time, fazer brainstorms, etc.

Sem inspiração, o planejamento é feito apenas em cima de wishful thinking, aquilo que você gostaria que fosse verdade. Os momentos de planejamento ocorrem em grandes ciclos, e com diferentes abrangências: eu, meu time e a empresa.

Para planejar o meu uso do tempo os ciclos costumam ser curtos. Tenho um documento chamado radar.md com os temas que eu e meu time estamos trabalhando no momento. Todo dia a noite sento para planejar o dia seguinte com uma To-Do List. Os ciclos de planejamento das atividades do meu time costumam ter periodicidade semanal (Game Plan) e os da empresa trimestral (OKRs).

Sem planejamento, a execução se torna um gasto de energia sem nenhuma direção definida. Os momentos de execução acontecem no dia-a-dia. As atividades de execução tem características variadas e tem uma grande interseção com as atividades de planejamento e inspiração. Ler, observar e discutir um plano são atividades de execução, planejamento e inspiração. Ligar para um potencial cliente para fazer uma venda é uma atividade de execução pura.

Se o planejamento foi bem feito, as atividades de execução de cada pessoa dentro da empresa vão deixar a empresa mais próxima de concluir o plano com sucesso. Isso vai se refletir em diferentes indicadores e na conclusão dos OKRs.

Paro de fazer exercícios e fico gordo. Muito tempo sem viajar me faz perder perspectiva. Desrespeitar o equilíbrio das atividades garante tempos sombrios. Vou passar a cobrar isso do meu time. Meu sócio disse - num momento de inspiração - que tenho que me planejar para executar cobrança de forma mais diligente.